Projeto de Cajar Nardes obriga gravação em vídeo em pet shops e hotéis para animais

Fábio de Larue
Notícias

O deputado federal Cajar Nardes (Podemos-RS) é autor de projeto de lei  que obriga pet shops e hotéis especializados a instalarem circuito interno de vídeo, para que o cliente possa acompanhar os serviços de higienização, como banho e tosa, e também a guarda de seus animais de estimação. Conforme o texto, as gravações deverão ser armazenadas por seis meses após a realização dos serviços. Quando solicitado, o estabelecimento deverá fornecer, em até dois dias, uma cópia das imagens gravadas de seu animal.

Em defesa da causa animal, recentemente o deputado protagonizou mobilização de parlamentares para a criação no Ministério da Saúde de uma nova rubrica. Até então, o ministério não compreendia o conceito de economicidade da ‘saúde única’ – humana e animal juntas, conforme determina a OMS para que ambas se tornem mais eficientes. “Dessa forma, muitos municípios receberão emendas parlamentares destinadas à castração, aquisição de equipamentos veterinários móveis e fixos. Os maiores responsáveis pelo grande número de animais abandonados somos nós mesmos”, conclui o deputado.

Cajar Nardes, que  ingressou no Podemos em 20 de setembro, tem 51 anos e é médico veterinário. Ele concorreu pela primeira vez a um cargo eletivo em 2014, fazendo 55.434 votos. O parlamentar pauta sua atuação no Legislativo sob três temas principais: infraestrutura, proteção aos animais e incentivo à agricultura. “São três grandes áreas de atuação, mas procuro estar muito atento às necessidades ou manifestações das pessoas em outras segmentos”, explica o deputado ao relatar, por exemplo, sobre emenda de sua autoria ao projeto que altera o art. 2º da Lei nº11.096, para incluir, entre aqueles a quem a bolsa do Programa Universidade para Todos (Prouni) é destinada, os estudantes que sejam filhos adotivos. “Trata-se de um projeto que aborda aspecto de extrema importância que é o apoio à adoção por meio de um facilitador de acesso ao ensino superior”, explicou o parlamentar.