Estadão | Candidaturas ‘alternativas’ dão a largada

Assessoria de Imprensa
Imprensa

Candidaturas ‘alternativas’ dão a largada

Partidos buscam aumentar o cacife e lançam nomes próprios ao Planalto nos próximos dias

 

Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2017 | 05h00

Foi aberta a temporada de lançamentos de candidaturas “alternativas” à Presidência. O PCdoB, o Novo e o PSC vão anunciar, oficialmente, neste fim de semana, seus pré-candidatos ao Planalto em 2018. Nem os partidos nem os nomes que serão lançados – respectivamente, Manuela D’Ávila, João Amoêdo e Paulo Rabello de Castro – figuram em posições de destaque nas pesquisas de intenção de voto, mas procuram ganhar musculatura política a tempo da formação dos palanques dos favoritos.

Nesta sexta-feira, 17, o evento da filiação do ex-atacante da seleção brasileira Bebeto ao Podemos servirá também como mais uma agenda para “apresentar” o senador Álvaro Dias (PR), presidenciável do partido. Desde que sua pré-candidatura foi lançada, em julho, o parlamentar já esteve em cinco Estados acompanhando os candidatos aos governos locais.

Segundo a deputada Renata Abreu (SP), presidente do Podemos, o partido tem conversado com siglas pequenas, como PRP e PTC, e médias, como a Rede. “A gente está procurando fazer uma coligação majoritária. O conceito político do Podemos é muito parecido com o da Rede”, disse a deputada.

A Rede, apesar de não ter lançado oficialmente sua chapa, já tem um nome para a Presidência: a ex-ministra Marina Silva, candidata e terceira colocada nas duas últimas eleições.

Vice. Sobre a possibilidade de entrar na disputa pela Vice-Presidência, contudo, Renata é categórica. “Nós do Podemos não abrimos mão da candidatura do Álvaro, não vamos ser vice.”

Neste sábado, 18, será a vez de o PSC lançar, em Salvador, o seu nome para a disputa. Com a saída já dada como certa do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para o Patriota, o PSC espera aumentar o passe para 2018 com o lançamento do presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro, para a Presidência. Filiado ao PSC desde outubro, o economista é bem visto pelo mercado e vai estrelar o programa da sigla na TV na próxima semana.

Também neste sábado, o Novo anuncia sua estreia em eleições majoritárias. Lançado há dois anos, o partido fará um evento em São Paulo, em que será apresentada a candidatura do seu fundador, João Amoêdo. O empresário vem ensaiando o discurso de candidato. Nesta quinta-feira, 16, no Twitter, afirmou que “o Estado não tem que perder tempo administrando empresa de petróleo”.

Com o PT desde 1989, o PCdoB decidiu lançar um nome próprio ao Planalto: a deputada estadual Manuela D’Ávila (RS). Sua candidatura será anunciada na convenção nacional do partido, neste fim de semana. No evento, estarão presentes pré-candidatos mais bem posicionados em pesquisas: Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Ciro Gomes (PDT). Apesar de Manuela negar a possibilidade de integrar uma chapa como vice, membros do próprio PCdoB a veem como um bom nome para compor o bilhete uma chapa ao lado de Lula. / COLABOROU PEDRO VENCESLAU