Dr. Sinval faz mutirão de vasectomia neste sábado na cidade de Tupi Paulista

Jurandyr Bueno
Notícias

Sábado de Carnaval é mais um dia de muito trabalho na agenda do médico e deputado federal Dr. Sinval Malheiros (Podemos-SP). Em parceria com Prefeitura e Santa Casa de Misericórdia de Tupi Paulista, o parlamentar cirurgião, com 40 anos de experiência médica, realizou mutirão de cirurgias para reduzir a fila de pacientes que esperam por vasectomia (procedimento cirúrgico de esterilização masculina). No total, 20 pessoas foram beneficiadas.

Organizado pelo Instituto Anjos de Deus, o mutirão foi solicitado pelo prefeito Alexandre Tassoni, o Lê, pela secretária de Saúde, Márcia Matos, pelo diretor-clínico da Santa Casa de Tupi Paulista, Douglas Guazzi, e pelo coordenador regional do Podemos (região de Tupã), professor Márcio Murini. “Todos são pessoas extremamente responsáveis, que estão verdadeiramente preocupadas com a saúde da população”, avalia Daniel Braga, presidente do Instituto Anjos de Deus.

Segundo Braga, os pacientes precisaram ir até a estrutura de saúde, onde foram informados os exames e documentos necessários. Após a realização dos exames e avaliação, foram marcadas as cirurgias. “Dr Sinval exige que se respeitem todas as exigências do Ministério da Saúde. Ou seja, não basta querer. Tem que está dentro do parâmetro exigido e permitido pelo Ministério para poder fazer a cirurgia de contracepção”, ressalta Braga.

A vasectomia é um procedimento cirúrgico simples e realizado por urologistas ou cirurgiões gerais, que tem como objetivo tornar o homem estéril. Seu nome técnico é deferentectomia. Com anestesia local, a vasectomia é realizada em aproximadamente 30 minutos, e o paciente tem alta em seguida. Embora qualquer homem possa fazer a vasectomia, isso vai depender dele próprio, e algumas exigências são determinadas por lei. Para optar pelo procedimento, é necessário ter pelo menos 25 anos de idade e dois filhos vivos. Clinicamente, indica-se para homens férteis a partir dos 30 anos.

“E o homem que optar pelo procedimento cirúrgico da vasectomia deve encarar como uma ação definitiva, mesmo que hoje já seja possível o processo de reversão. Por isso, é fundamental ter segurança ao tomar a decisão, já que a companheira não vai mais engravidar”, alerta o Dr. Sinval Malheiros.